Fizemos um guia de compras completo para você não errar ao comprar no país vizinho

Anualmente milhares de brasileiros atravessam a fronteira pela ponte da amizade para buscar produtos com preços mais atraentes no Paraguai. A forte competitividade local e o fator da carga tributária em cima dos produtos importados ser mais baixa que no Brasil, tornam os produtos mais baratos, as vezes com diferenças bem consideráveis. Mas apesar disso, muita gente tem dúvidas sobre como funcionam as compras no país aos lado. Atravessar a ponte para comprar no nosso vizinho não é um bicho de sete cabeças, mas se você for preparado, vai conseguir otimizar suas compras e evitar possíveis incômodos.

Venha com roupas leves e confortáveis

Pode parecer um pouco óbvio, mas muita gente acaba esquecendo desse detalhe. Quando falamos em compras no Paraguai, estamos falando de centenas de lojas distribuídas ao longo de muitas ruas. O microcentro, onde o comércio acontece, é extenso e na maioria das vezes, cheio, com calçadas estreitas e ruas com inclinações consideráveis. Com exceção do inverno que é bem rigoroso e vai de junho até agosto com temperaturas bem baixas, no resto do ano a região é quente, bem quente. Por isso roupas leves, como shorts ou bermudas são o mais recomendável, afinal, roupas que limitem seus movimentos e esquentem muito, podem atrapalhar a sua experiência e fazer com que você não consiga fazer sua visita da melhor forma.

O ideal é que você venha com um tênis confortável, já que provavelmente irá andar bastante para conseguir as melhores opções e até conhecer o que mais as lojas tem a ofertar além do que já havia se programado. Para as mulheres, sapatos ou sandálias de salto alto nem pensar. Ninguém consegue subir e descer ruas por muito tempo tendo que se equilibrar em um salto, mesmo que médio. Evitar trazer bolsas e mochilas também é uma boa, já que será um volume a mais a ser carregado junto das suas compras, gerando um peso desnecessário e se tornando um volume a mais para ser carregado.

Documentação e visto

Graças a aliança entre os países da América do Sul, podemos visitar o Paraguai sem a necessidade de emissão de um passaporte e um visto. A menos que você pretenda visitar outras cidades ao longo do país vizinho, é possível atravessar a ponte da amizade sem a necessidade de passar pela imigração para informar onde vai e o que vai fazer. Mesmo que você pretenda ir a Asunción, por exemplo, o visto não é necessário. Nesse caso bastaria apenas das entrada no país com seu documento de identidade.
O único documento válido para estrangeiros na região é o RG, ou o passaporte caso você já tenha um. O RG deve estar em bom estado e não deve ter emissão superior a 10 anos. Outros documentos que são aceitados oficialmente no Brasil, como a carteira de motorista, não são aceitos no Paraguai, então confira sua carteira ao atravessar a ponte e certifique-se de que está levando a identidade junto.

>>  Semana Xiaomi na Atacado Games

Atravessando a ponte

Uma dúvida recorrente é em relação a qual a melhor forma de fazer a travessia. Na cidade de Foz do Iguaçu, que faz fronteira com a Ciudad Del Este no Paraguai, existe um ônibus internacional que sai do centro da cidade e atravessa a ponte passando pela avenida principal da região de compras no Paraguai. O valor da passagem custa cerca de R$6,00 reais (2019) e é uma das opções. Na região é muito comum moradores e turistas atravessarem de moto táxi, por cerca de 15 reais do bairro Vila Portes, onde está localizada a aduana brasileira, até o Shopping Jebai no PY. Ainda é possível atravessar de táxi, caso queira um pouco mais de conforto, ou se você não se incomoda em caminhar, atravessar a pé por uma passagem exclusiva para pedestres na Ponte da Amizade.

Fazendo suas compras

Ao chegar no Microcentro da Cidad Del Este, você vai se deparar com centenas de opções diferentes, o que pode te deixar um pouco confuso de por onde começar. Por isso o melhor é já ter uma lista prévia do que você pretende comprar, e o endereço das lojas que pensa em visitar. Grandes lojas como a Atacado Games que possui mais de 20 anos no mercado vão garantir a qualidade e idoneidade dos produtos, vendendo somente produtos originais e trabalhando com transparência. Acessar o site previamente para fazer pesquisas de produtos pode te poupar tempo e garantir os melhores preços. Ao chegar na loja já com o código do produto que você quer, vai garantir um atendimento mais rápido e vai evitar que você compre um produto semelhante mas com alguma especificação diferente.

As lojas conceituadas também possuem uma área de teste para os produtos eletrônicos. Assim você pode testar antes mesmo de sair da loja e confirmar que está tudo funcionando e, caso haja algum defeito, ser trocado na hora. A moeda de vendas na região é o dólar, porém é possível pagar em reais sem problema nenhum. A loja vai fazer a conversão do valor do produto para reais de acordo com a cotação deles, que é baseada na cotação regional. Como cada loja define sua própria cotação, você pode encontrar lojas com cotações maiores que as outras. Algumas lojas também aceitam cartão de crédito, mas existem algumas taxas ao optar por essa opção.

>>  Nintendo Switch Lite, vale a pena?

Quando estiver andando pelas ruas do Paraguai, você será abordado constantemente por “promotores”, ou como são chamados na região, os piranhas. Eles abordam os turistas perguntando insistentemente o que querem, “eletrônicos, perfumes, celulares” e te levam para lojas menores onde não existem garantias de que você irá comprar um produto original, por isso a melhor opção é pesquisar antes a localização das principais lojas e se dirigir diretamente a elas.

Quanto é permitido comprar

Tecnicamente, você pode comprar o valor que você tiver disponível em dinheiro, desde que sejam produtos lícitos e respeitem a cota quantitativa. Porém se você pretende comprar sem pagar impostos, a cota atual de compras livre de taxas é de $300,00 dólares por mês até o final de 2019. A partir de Janeiro de 2020, será possível comprar até $500,00 dólares por mês sem pagar as nada ao atravessar. 

Caso suas compras ultrapassem o valor da cota atual, você terá a opção de se dirigir voluntariamente ao posto da Receita Federal na aduana brasileira e declarar o que comprou e quanto pagou. Feito isso, será emitido um boleto com o valor de 50% do valor que ultrapassou a cota, para ser pago no Banco do Brasil. Por exemplo, se a cota atual é de $300,00 dólares e você comprar no total $400,00, terá ultrapassado o valor de $100,00 dólares, então o boleto emitido para pagamento será de $50,00 dólares.

Se você tiver ultrapassado a cota e tentar passar sem declarar voluntariamente e um dos fiscais aduaneiros te pararem para uma verificação de rotina, além da taxa de 50% por ter excedido a cota, também será cobrada uma multa. Seus produtos ficarão retidos até 7 dias na aduana, e depois disso até 45 dias na delegacia de Foz do Iguaçu, sendo possível nesse prazo o pagamento do boleto e retirada dos produtos. 

Mas se você tiver comprado além da cota permitida para isenção de impostos, não tiver declarado voluntariamente e não for parado por um fiscal ao atravessar, você pode ter problemas ao voltar pra casa. Caso seja parado na estrada pela polícia e não tiver o boleto com o pagamento das taxas, suas compras ficarão retidas não havendo mais a possibilidade de pagamento para retira-las. Você perderá tudo o que comprou. No aeroporto, a fiscalização é ainda mais rígida, já que o leitor de raio x pode detectar os produtos em sua bagagem, e nesse caso, você também perderá suas compras, por isso o ideal é sempre que exceder a cota, declarar voluntariamente.

author image

Fernanda Tavassi

See all author posts

Comentários